quarta-feira, 15 de junho de 2011

Agora há pouco um amigo me perguntou na sala "Quem é Cátia". Eu fiquei pensando "O que ele ouviu/leu? Como ele sabe da Cátia?". Eu perguntei "qual Cátia? Por quê?"
- Eu tava lendo seu blog e tinha uma tal de Cátia...
- Eu escrevi alguma coisa com a Cátia, mas...
- Era algum nome com K
- Keyte.
- Isso.
- É minha prima.
- Ah, pensei que fosse sua amiga imaginária.
Caramba. Tudo bem que nossas conversas são estranhas, mas é pra tanto?
Mas eu não me ofendi, na verdade, eu explodi em risos. Eh, depois dessa, foi difícil controlar.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Somos extremamente diferentes. Pólos opostos. Você não conhece a minha profundidade. E a última coisa que eu quero na minha vida é ser igual a você. Mas você me mudou. Eu não queira, mas mudou. Eu não fico feliz em dizer, mas parte do que eu sou é por sua causa.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Será que alguém sentiu minha falta no blog?

Eu senti falta de escrever aqui, porque eu amo tanto esse blog, tudo aqui eu fiz com tanto carinho, cada detalhe. E estou tão feliz por voltar a escrever no meu blog. Tá, os textos estão tristes - e tem mais, que eu ainda não postei. Mas os momentos tristes são os mais me inspiram, e incentivam a escrever. Preciso escrever para não sufocar.
E outra, eu confesso que estou carente de comentários (esse é um dos motivos pelos quais eu me afastei, e, bom, eu estou em uma relação séria com o Tumblr.) Quer dizer, eu vejo as Estatísticas, e vejo que ainda tem pessoas vendo meu blog, mas eu não sei o que elas pensam do eu escrevo. Eu quero a opinião de vocês, caros leitores (ainda que poucos, mas tudo bem, eu não sou uma gênia) E, na verdade, a maioria dos comentários foram de pessoas que eu conheço.
Olha, eu aceito críticas também, tá? (rs, tô apelando) Mas, enfim, sintam-se à vontade.
Você pode fazer da minha vida um inferno, mas me rendeu alguns textos e umas boas frases.

Sectumsempra

You got it. You made me wish to reward you for all my tears, with Sectumsempra. Do you know what it is? No, you don’t. I had never felt so vindictive. You arouse the worst in me. 
image
See this? You get me worse than that. It’s not my body. You hurt my soul, break my heart, stain my spiritCrucio is not enough for it. You have to bleed, like I cried, because of you.
I don’t know if I want you dead, or alive to torture for your sins. Because nothing is how it has to be. Everything is so wrong. I don’t belong you. And you don’t belong me.
But no, I don’t want you to die. You couldn’t have changed me at this level. I Just want our ways to separate FOREVER. I just want to look at you and only feel shame for the poor soul and hopeless life you have.
I’m not what you make of me. That’s the reason I suffer a lot. I’m an iceberg for you, but you don’t know well not even the top of the surface. You don’t know 1% of me.
You know what? You don’t have any clue of how many tears I shed. And you never will.

Ps: Eu escrevi esse texto em inglês de propósito. Revisei e escolhi as palavras com cuidado. E eu não vou traduzir, sinto muito.

terça-feira, 7 de junho de 2011

Eu já chorei à noite, atormentada por uma história. Querendo entrar nela, mudá-la, fazer as coisas de um modo diferente. Mas se fosse diferente, não haveria história. Se não fosse triste, não haveria história. E eu não a conheceria, não sofreria, não amaria. Se o amor fosse possível, ele não existiria.