terça-feira, 29 de março de 2011

quinta-feira, 24 de março de 2011

"Senhor, sou contra tudo o que vossa senhoria disse, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-lo."

- Voltaire
Trabalho de Literatura sobre Iluminismo. Cansativo, mas interessante.

quarta-feira, 23 de março de 2011

O sonho ridículo da minha prima

Minha prima me contou um sonho que, pelo amor de Deus, bizarríssimo.

Como não fui eu que sonhei, eu posso não saber de alguma coisa, mas eu vou contar, do meu jeito, o que ela me falou.
Eu disse para ela escrever e colocar no blog, senão eu contaria e seria pior pra ela, mas ela não fez isso, então...

Há sonhos que podem parecer reais, mas há sonhos que simplesmente não podem ser reais.
Ela sonhou que estava sendo perseguida. Até aí tudo bem... Mas ela teve a coragem de me falar, de falar para alguém, que quem a estava perseguindo era, ninguém mais, ninguém menos do que, A Feiticeira Branca, isso mesmo, das Crônicas de Nárnia.
E não para por aí... a Feiticeira Branca estava por aqui, andando pela cidade, perseguindo a minha prima, que não é uma dos quatro Reis e Rainhas de Nárnia, que não tem nada de especial (ops, brincadeira), de trenó.
Sim, ela estava por aí, toda branca, andando pelo asfalto de trenó. E o melhor da história: as renas. O que puxava o trenó não eram renas, eram burros! Adorei, sério, eu ri quando ela me contou.
Os anões, que servem a Feiticeira também são uma boa parte. Eram dois dos nossos tios, que são altos, e simplesmente viraram anões no sonho dela. Vai entender...

Por fim, ela estava se escondendo da Feiticeira e tinha que ficar em algum lugar, precisava de ajuda. Adivinha quem a escondeu? Eu, é claro. Tinha que ter eu nessa história, né. Ela teve a cara de pau de me colocar nesse sonho. Disse-me que eu a escondi na minha casa, atrás do sofá.
Mas os sofás na minha sala ficam encostados na parede, então para entrar atrás do sofá seria preciso afastá-lo. Ou seja, se a feiticeira Branca entrasse na minha casa, procurando pela minha prima, que estava atrás do sofá, seria superfácil encontrá-la.
Agora vamos procurar num livro sobre os significados dos sonhos e ver o que isso significa... Até parece que isso quer dizer algum coisa, um sonho inútil desse.
(voz de Sibila Trelawney)”Você está correndo grande perigo... Pessoas da sua família vão se voltar para o Mal...”

Ah, sim, esqueci. Ela comentou esse sonho até com meu pai e ele respondeu “Esse é o tipo de sonho que todo mundo tem, mas a gente não costuma contar, não.”

segunda-feira, 21 de março de 2011

Leitores da minha vida, estamos aqui reunidos esta tarde para comunicar-lhes que eu fiz um novo site. Agora eu tenho também um Tumblr (olha só, eu conheço o Tumblr desde quando eu nem sabia o que era Tumblr, não é porque estou seguindo nenhuma modinha).
O nome do meu Tumblr é Accio Ócio!

terça-feira, 15 de março de 2011

Caso Encerrado: A arte do ilusionismo

Caso Encerrado: A arte do ilusionismo: "A Felicidade é um dom. E pronto. Se você não foi agraciado com ele, desista de tentar alcançá-la. Não acredite em nada do que as pesso..."


Quando eu era garotinha, eu queria ser uma fada depois de ser uma princesa. Finalmente, como isso era impossível, eu decidi que queria SER UMA ATRIZ. - Emma Watson

segunda-feira, 14 de março de 2011


Meu cérebro é egoísta. Ele não pensa em mim. Ele idealiza uma Karol com os mesmos desejos que eu, mas sem as minhas limitações e obrigações. E pensa quando quer.

Pensamento Contínuo


Meu fluxo de pensamentos é perverso. Quando eu passo muito tempo sem postar no blog, e quero escrever alguma coisa, não vem nada.
Agora, que eu simplesmente  não posso ficar escrevendo, porque tenho muita coisa para estudar, é que a inspiração vem. (Maldita!)

Eu passei o domingo fazendo lição de Geografia e depois copiei a pesquisa de Português sobre Surrealismo no caderno, porque a porcaria da minha impressora não funciona. Ou funciona, e é a porcaria do computador que não aceita. E como eu não tenho a porcaria da internet na minha casa, eu nem posso postar esse texto agora, direto no Blogger.
Eu não estou com raiva, falando esse monte de porcaria, só estou preocupada. São mais de 3 horas da manhã e eu estou aqui, pensando, pensando... E mais uma vez, como em outras noites, eu tive que me levantar da cama para pegar o caderno e escrever.
Mas por que eu estou escrevendo? Isso não é nada. Na verdade, é porque eu gostei do começo “Meu fluxo de pensamentos é perverso...” O que eu queria postar se resume aos dois primeiros parágrafos, mas como eu continuo pensando...

Eu tenho uns textos já escritos para postar e outros que ainda quero escrever. E se eu não escrever logo eu vou acabar esquecendo. Mas eu estou sem tempo! Só de Geografia tem que fazer o resumo do capítulo 15, do texto sobre São Paulo, copiar 5 letras de músicas sobre cidades (à mão) no caderno, escolher 2 delas e fazer dois textos de no mínimo 30 linhas cada relacionando a música com o texto sobre São Paulo.
Será que eu poso escrever sobre a peça Simplesmente Eu – Clarice Lispector, que é o que eu estou querendo?!

Ainda por cima eu não terminei de ler a parte de Conhecimentos Específicos da apostila do concurso público que eu prestar, que pretendia ter acabado neste domingo. Ainda falta Direito Administrativa, Regimento Interno, terminar Direito Processual Penal.
Eu pretendia ler o mais rápido possível para depois, já acostumada com a linguagem, reler estudando. Porque eu não entendo nada de Direito. O que eu aprendi se resume a 1 página. Tá, é mentira. Se eu ler direito eu entendo muito mais do que isso. Mas se me perguntar agora eu não lembro um artigo completo. Eu lembro que o artigo 5° aparece bastante, e lembro que é importante, mas nesse momento eu não lembro por quê. (Qual é, agora são 4 da manhã)
Até que tem coisas interessantes em Direito, mas ler isso em tão pouco tempo é cansativo.
Eu tenho que terminar essa semana e correr contra o tempo para reler e estudar de verdade. A prova será no dia 27 de março, ou seja, dois dias depois do meu aniversário, ô delícia. – E ainda por cima o 30 Seconds to Mars vai vir tocar em São Paulo nesse mesmo dia, inferno! Custava vir no dia 25 de março? Seria um ótimo presente de aniversário.
Mesmo assim eu não devo me arrepender. Por que deveria? Eu só estou buscando conhecimento e um emprego. E se eu não passar nesse (o que é mais do que óbvio), vai ficar mais fácil pra passar em outro. E se eu não passar também, que seja, pelo menos eu conheci umas “palavrinhas” novas. Sério, tem muitas palavras para procurar no dicionário. - Com certeza, o meu velho e estragado Aurélio não vai dar conta de tudo. -
Eu recomendo estudar Direito pra quem quer aumentar o vocabulário.
Agora eu tenho que parar, porque tenho que acordar daqui a menos de 2 horas. Coloquei 5 alarmes no celular. Vamos ver se eu acordo. – Sinceramente, eu duvido. Minha cabeça está pesada.

p.s.: minhas olheiras já são permanentes, não tenho esperança de me livrar delas tão cedo. Falando em olhos, eu preciso de um lápis de olho decente.

domingo, 13 de março de 2011

Os escritores são cruéis. Eles nos fazem amar... e matam.
E eu sou o que, se eu gostaria de ter esse talento?

"Um nome para o que sou? Importa muito pouco, importa o que eu gostaria de ser." - Clarice Lispector

sexta-feira, 11 de março de 2011

As melhores últimas frases

(ESSE POST PODE CONTER SPOILER, pense bem antes de ler. Eu avisei.)
Vou fazer agora algo que vai totalmente contra os meus princípios literários: contar o final de um livro. Mas o que me consola é que eu não vou contar o final da história. Uma coisa é como o livro acaba – com quais palavras -, outra é contar o que acontece – eles acabam assim, tal personagem faz tal coisa ou fulano morre - isso eu não faço.
Só a terceira é que pode dar um dica.


1. “UMA ÚLTIMA NOTA DE SUA NARRADORA
Os seres humanos me assombram.”

Livro: A Menina Que Roubava Livros
Detalhe: é a Morte “em pessoa” que conta a história – eu pensava que os humanos é que tinham medo da morte.


2. Livro: Eu Sou O Mensageiro
Frase: “Eu não sou o mensageiro. Eu sou a mensagem”

(Pensando se eu devo dizer qual é a mensagem... Não, não vou dizer. Não agora. É bom deixar alguém curioso, tomara que eu consiga.)


3. “Soube então que dedicaria cada minuto que tivéssemos juntos a fazê-la feliz, a reparar o mal que lhe causei e a devolver o que não tinha sabido lhe dar. Essas páginas serão nossa memória, até que seu último suspiro se apague em meus braços e eu a acompanhe mar adentro, onde nasce a corrente, para mergulhar com ela para sempre e poder, enfim, fugir para um lugar onde nem o céu nem o inferno possam nos encontrar, jamais.”



E o bom dessa é que não acaba, a história não tem um fim, e eu imagino o vem depois.
Eu sou o mensageiro também tem muito isso, só que é mais evidente, no final. É muito claro que não vai acabar. Acho que os melhores livros são assim. Os melhores livros não tem fim.

O começo desses livros também são ótimos, mas depois eu conto, afinal, quem liga para o começo? Por que o começo vem antes do final? Aliás, eu gosto muito de histórias que começam com o final.

Caso Encerrado: seres?

Caso Encerrado: seres?: "A humanidade é desumana, as pessoas já não ligam nem se preocupam com as outras, não querem mais saber dos pensamentos e sentimentos d..."

quinta-feira, 10 de março de 2011

Eu já nem me lembro mais quando foi a última vez que eu não te odiei...

Ou melhor, lembro sim... foi há muito tempo atrás... Tanto, que parece que foi em outra vida. Porque eu ainda não era eu. Mas você ainda era você.
Não quero dizer que você não seja mais você. Mas agora, você simplesmente... não é.

quarta-feira, 9 de março de 2011

Verdades não ditas

Por que eu não tenho a coragem de entregar uma folha de papel? É só um pedaço de papel. Mas com as palavras mais duras. Insuportáveis, eu diria. Isso destruiria nossas vidas? Ou elas já estão destruidas e nós que não vemos? E continuamos nos machucando.
Uma simples folha de papel deixaria tudo quebrado entre nós. Quebraria a mentira. Quebraria a parede que oculta a verdade. E o teto cairia sobre as nossas cabeças. Mas não seriam só as nossas cabeças.
Eu deveria ser honesta? Ou isso seria muita bondade? Não, a honestidade pode ser a maneira mais cruel de destruir uma pessoa. Mas os cacos choveriam sobre mim também. E eu posso ser egoísta.

sábado, 5 de março de 2011

Caso Encerrado: "Desabafo"

Caso Encerrado: "Desabafo": "Choro, penso, me calo, escuto e em meio a tudo, eu choro.. Aprendi a me calar quando o outro fala, aprendi a dormir diante de uma tristeza e..."

Just because I'm not you

Por mais que eu não saiba nadar, eu não vou morrer na praia, olhando para o nada, esperando, feito uma planta, que tudo caia nas minhas mãos. Assim como você faz. Eu vou correr atrás dos meus sonhos, porque os sonhos valem mais do que nada. E valem mais do que você.

sexta-feira, 4 de março de 2011

Shit

Quando eu penso que você já fez e falou todas as merdas, você me vem com uma nova modalidade de inutilidade depreciativa. Coisas que deveriam simplesmente serem jogadas na privada, e depois dar a descarga.
E nem sempre eu consigo ouvir tudo isso sem alguma emoção. E me calar. Isso me dá indigestão.
Mas, meus parabéns, você ainda tem o dom de me fazer arranhar novamente as cicatrizes e chorar as mesmas lágrimas. Então aproveite, porque esse é o único dom que você tem. E isso não vai durar para sempre, eu prometo.
E, obrigada, você me fez escrever o texto mais sujo que eu já escrevi. Eu estou com nojo.

O que eu realmente queria dizer a uma certa pessoa

Sabe o que eu acho? Que ou você me detesta ou tem inveja de mim, ou os dois. Inveja porque eu tô fazendo algo com a minha vida e você não. Parece que não quer que eu seja feliz.
Não quer que eu consiga porque não quer me ver longe de você, ou porque não quer que eu seja melhor que você, que saia anos-luz na sua frente? Porque é isso que vai acontecer, mais cedo ou mais tarde.
Até parece que eu tirei a vida que você poderia ter tido sem mim. O que você teria feito? Seria tudo diferente, não é? Você se arrepende?

(Obs: eu reduzi o texto)

quinta-feira, 3 de março de 2011

J. Killer



A Keyte estava lendo “A Ordem da Fênix” e comentou comigo que se emocionou quando o Lupin aparece (eu amo o Lupin e eu também me emocionei).
Depois, conversa vai, lembrança vem, e sabendo o que acontece no final desse, do sexto e do sétimo, ela disse que a J. K. deveria ser presa, por matar tanta gente. É claro que eu achei um absurdo, mas faz sentido, e não pude me impedir de rir. Eu respondi “Tanta gente boa, né.” Ela completou “não é à toa que o apelido dela é J. Killer.”
Depois de um momento em silêncio, eu pensei em voz alta “A mãe dela devia ser uma grande mulher.” Disse isso porque, em entrevista à Oprah Winfrey, J. K. disse que não é exagero dizer que se a mãe dela não tivesse morrido, Harry Potter não seria a mesma coisa, que a morte dela está em uma ou outra página de Harry Potter. Eu acho que ela mentiu – está em muitas.
Em resposta ao meu pensamento a Keyte falou, com uma inegável pontada de raiva na voz “Tinha que ser mesmo, pra ela matar tanta gente!”